08 NOV 18

Manoel Dias: “Exaltar o legado de Matheus Schmidt é fortalecer toda a história de luta do Trabalhismo nacional”

Na Câmara dos Deputados, lideranças do PDT participaram da homenagem ao trabalhista

*Por Bruno Ribeiro

Brasília, 8/11/2018 – “A democracia está sendo gravemente atacada. O PDT representará o foco intenso de resistência no Congresso”, afirmou o presidente nacional da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) e secretário-geral da sigla, Manoel Dias, ao participar, na Câmara dos Deputados, da homenagem ao trabalhista Matheus Schmidt. O evento fez parte do 5º encontro do ano do “Expresso 168″, que contou com um amplo debate sobre o processo de redemocratização após a exibição do documentário “Matheus Schmidt – Um Caso de Amor pelo Brasil”.”

Ao lado do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e de parlamentares, Dias valorizou o encontro promovido pela liderança do partido.

“Exaltar o legado de Matheus Schmidt é fortalecer toda a história de luta do Trabalhismo nacional. Ao lado de Leonel Brizola, foi um dos protagonistas na garantia e defesa da democracia. Orgulha ter participado ontem, ao lado de pedetistas, do ótimo debate”, afirmou.

Documentário

A produção narra a trajetória de um político brasileiro que trava uma luta de 60 anos em favor da democracia, da igualdade social e da defesa do patrimônio público. Entre 1948 e 2010, Matheus Schmidt enfrenta duas prisões, um exílio no Uruguai, resiste a um duro embate contra a ditadura militar (1964-1985), denuncia prisões e desrespeitos a direitos humanos, e vai para a rua defender estudantes e trabalhadores nos confrontos com a polícia.

Em várias ocasiões, como nas invasões da Universidade de Brasília nos anos 1960, Matheus desafia o autoritarismo e paga o preço de ter o seu mandato de deputado federal cassado pelo Ato Institucional número cinco (AI-5) em 30 de Dezembro de 1968. Mesmo durante os dez anos que teve os direitos políticos suspensos, ele continuou lutando pela democracia. Nos dois últimos mandatos de deputado federal, Matheus atuou nos movimentos de redemocratização do País (1983-1987) e contra o neoliberalismo imposto pelo presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-1999).

Com narrativa vibrante e cheia de emoção, o filme resgata uma parte turbulenta da história do Brasil e reafirma valores como ética e coerência na política.

*Com informações do site PDT na Câmara. Foto: Alexandre Amarante

Galeria de fotos

Bruno Ribeiro

Secretário Nacional de Comunicação da FLB-AP.

COMENTÁRIOS