07 JUN 18

Prestes é homenageado com cartilha lançada no Congresso Nacional

Produzida pela Fundação, edição exalta história e obra política de um dos principais líderes da esquerda

*Por Osvaldo Maneschy

Brasília, 7/6/2018 – A cartilha em homenagem a vida e a obra política de Luís Carlos Prestes, segundo volume da coleção “Memórias Trabalhistas”  da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), foi lançada na tarde desta quarta-feira (6/6) com ato público no Salão Verde do Congresso Nacional. O evento contou com a participação do líder do PDT na Câmara, deputado André Figueiredo (CE), do presidente da Comissão de Legislação Participativa, deputado Pompeode Mattos (RS), dos deputados Chico d’Angelo (RJ) e Glauber Braga (PSOL-RJ) e representantes da Fundação.

Na oportunidade, André Figueiredo saudou a iniciativa do Centro de Memória Trabalhista da FLB-AP de homenagear grandes figuras políticas do Brasil e lembrou episódio que vivenciou, na concha acústica da Universidade Federal do Ceará, na campanha presidencial de 1989, com Prestes. Na ocasião, Prestes esteve na capital cearense falando a estudantes em apoio ao então candidato a presidente Leonel Brizola.

André destacou ainda que na cartilha, entre outras informações, há declaração de Brizola pregando a união das esquerdas – que não aconteceu – naquela eleição, vencida por Collor. “Hoje o Brasil vive momento semelhante porque é fundamental a união para que possamos, com Ciro Gomes, ter oportunidade de vivenciar os sonhos e a luta de Brizola”.

Pompeo de Mattos, segundo a falar, se disse honrado em participar da homenagem a Prestes e elogiou o trabalho coordenado por Henrique Matthiesen, da FLB-AP, “pela compreensão da grandeza da história do Trabalhismo” e também aos demais representantes da entidade presentes no ato. Lembrou a importância da Coluna Prestes na história do Brasil e citou lembranças de sua infância, na fazenda do seu avô na cidade gaúcha de Ajuricaba, onde, nos arredores, Prestes passou com sua coluna e travou combates.

Fez questão de destacar ainda que, por conta das trajetórias políticas de Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola, o PDT se orgulha de seus mortos.  “Quem não cultiva o passado, não vive o presente e não se encontra com o futuro”, encerrou.

Em uma fala rápida, Henrique Matthiesen explicou que o primeiro volume da série “Memórias Trabalhistas” foi uma homenagem à memória de Neiva Moreira, fundador do PDT; o segundo estava sendo dedicado a Prestes e que já está no prelo o terceiro volume da série, com a trajetória política de Doutel de Andrade. Anunciou ainda que já está em fase de pesquisa e produção de textos o quarto volume da série, sobre Therezinha Zerbini.

Fechando o ato no Salão Verde, o deputado Glauber Braga, do PSOL do Rio de Janeiro, parabenizou o PDT e a fundação pela homenagem a Prestes “que faz parte da História do Brasil por sua luta pela transformação real de nosso país, a mesma luta de Leonel Brizola”.  Glauber finalizou: “Neste momento em que convivemos com a entrega de reservas de petróleo, tentativa de desmonte de nosso sistema elétrico, que falta fazem homens como Luís Carlos Prestes e Leonel Brizola. Que falta fazem lutadores e lutadoras que nunca escolheram o lado fácil da História. Parabenizo a Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini pela iniciativa e como parlamentar do PSOL, quero dizer também que estamos juntos na luta. E que Prestes e Brizola nos inspirem a ultrapassar este momento tão difícil de nossa história”.

Bruno Ribeiro

Secretário Nacional de Comunicação da FLB-AP.

COMENTÁRIOS