O COLUNISTA DIZ...

Mauricio Conti

Estudante de Relações Internacionais da UFSC e militante do PDT-SC

A raça do PDT mudará Santa Catarina e o Brasil

Nosso país depende da nossa raça, da vontade de cada um e cada uma em transformar nossa realidade. É momento de fazer alguns sacrifícios em nome de uma ideia, em torno de um líder.

A Juventude Socialista do PDT tem em suas mãos umas das maiores tarefas de sua história, que um dia foi das fileiras da “A LaMoça”. É hora da vanguarda trabalhista assumir o protagonismo do processo político, oferecer as demais juventudes organizadas e um caminho de unidade política por objetivos nacionais que sustentam, a longo prazo, os investimentos em nossa educação e garantam nossa independência como nação ante a cobiça de outras nações expansionistas.

No momento em que parte significativa do mundo se reorganiza em torno de seus objetivos nacionais, cabe a nós defender um novo modelo de organização da nossa economia, da nossa política e de nossa cultura.

O processo eleitoral deste ano exigirá um desprendimento do privado para buscar, em cada cidade, bairro a bairro, rua a rua, o voto de seu pastor, da vizinha, da motorista de ônibus, do dono da mercearia, de cada brasileiro e brasileira que acredita e sonha com uma país mais justo, igualitário, livre e com a perspectiva de uma vida melhor.

É momento de superar essa depressão coletiva que se abateu sobre a nossa gente, de subverter o estado de coisas, de transgredir a superficialidade do debate imposto pelos detentores do poder e de extirpar, de maneira definitiva, o ideário que alimenta os fantasmas de uma nova intervenção militar.

Nós temos o dever de, em nossas universidades e escolas, estimular o debate, de combater as injustiças e apresentar uma nova via de organização popular que não seja revolucionária somente na retórica, mas na ação, para garantir o bem do coletivo.

O PDT está fortalecido para oferecer o espaço devido a quem se dispõe a trabalhar por esses objetivos. E isso surge da disposição de operacionalizar novas estratégias, de conceber novos caminhos para a conscientização do nosso povo e de potencializar as experiências de construção coletiva, controle e participação social.

Vários são as nossas referências morais e intelectuais, mas é possível sintetizar nosso conjunto de valores em três figuras centrais deste momento político: Carlos Lupi, que tem a tarefa de presidir o nosso partido e tem o feito com disciplina e justiça; Manoel Dias, secretário-geral nacional que colocou seu nome novamente à disposição do partido e leva as bandeiras do trabalhismo para as ruas de Santa Catarina como pré-candidato a deputado federal e Ciro Gomes, que carrega consigo a garra do povo nordestino, a inspiração de Jango e Getúlio, a experiência de três décadas de política decente e com a mais genuína vontade de servir ao povo brasileiro em um dos momentos mais sensíveis da nossa República.

Mauricio de Conti

Estudante de Relações Internacionais da UFSC e militante do PDT-SC

Galeria de fotos

COMENTÁRIOS